fbpx
gestão de riscos condominiais gestão de riscos condominiais

Como fazer uma gestão de riscos condominiais? Confira!

6 minutos para ler

A gestão de riscos condominiais é fundamental para manter o controle do condomínio, mas para que ela seja eficiente, alguns aspectos devem ser observados e implementados. Você sabe quais são?

Conheça o que é a gestão de risco dentro de um condomínio, qual sua importância e descubra como fazer para que ela seja eficaz e ofereça a segurança esperada. Veja logo abaixo!

O que é gestão de risco?

Para iniciar, a gestão de riscos condominiais é a reunião de atividades realizadas com a finalidade de controlar e gerenciar o condomínio como um todo, para evitar ou minimizar eventuais ameaças.

Dentro disso, ocorre todo um planejamento por meio de utilização de recursos materiais e humanos, para que as melhores estratégias sejam implementadas, como forma de antecipar possíveis riscos.

Além disso, esse tipo de gestão também atua nos casos em que o risco não pôde ser previsto, mas precisa ser manejado. Como consequência, mesmo que algo negativo tenha acontecido, o condomínio consegue responder rapidamente para contornar este problema.

Importante destacar que existem vários tipos de riscos, sendo que eles podem ser diversos como financeiro, operacional, de falhas de profissionais ou até mesmo de eventos da natureza.

Sendo assim, é preciso reconhecer a origem da crise, vislumbrar possibilidades e estar sempre atento ao funcionamento condominial.

Em tópico mais abaixo você verá dicas de como formar uma boa gestão de riscos.

Qual a importância de uma gestão de risco apropriada?

Diante do que foi abordado acima, a importância de contar com uma gestão apropriada, é enorme. Isso porque, é inevitável que o condomínio passe por crises. Sendo assim, ter estratégias pré-definidas e formas de lidar com o risco, quando ele surgir, é indispensável para que a crise seja superada e deixe menos dano possível.

Se o condomínio não tem estratégias definidas e apropriadas, até mesmo o menor acontecimento que gere risco pode desestabilizar a saúde operacional, financeira e contábil.

Para exemplificar, podemos pensar no telhado da parte administrativa do condomínio que está com problemas. Existe o risco de chuvas fortes, o que pode acontecer independentemente de esforços humanos. Se ele se concretizar, o condomínio terá grandes problemas de perda de documentos, equipamentos e demais danos.

Nesse caso, a causa poderia ter sido evitada com a gestão de riscos, que seria identificar o problema no telhado e realizar a manutenção. Percebeu a importância?

Assim, é essencial estar preparado para lidar com situações adversas, tanto aquelas que podem ser previstas, quanto as que não podem.

Como fazer uma gestão de risco eficiente?

Depois de conhecer o conceito e saber da importância, falta saber como fazer uma gestão de riscos condominiais eficiente. Existem diversas dicas que podem contribuir para que a criação das melhores estratégias de controle e gerenciamento de crises.

Ter compreensão e conhecimento sobre elas é o ponto principal para conseguir desenvolver um bom trabalho nesse quesito e garantir que o condomínio esteja melhor preparado para enfrentar momentos difíceis que, infelizmente, fazem parte de qualquer atividade.

Confira algumas das principais dicas logo abaixo.

Identificar riscos

Uma das primeiras coisas a fazer é identificar os riscos em potencial que o condomínio tem. Saber das vulnerabilidades e fragilidades, é um passo crucial. Afinal, para conseguir encontrar o melhor caminho para contornar a crise é ter conhecimento de onde ela poder vir.

Por isso, você deve fazer uma análise completa, entre os pontos, deve observar:

  • estrutura física;
  • colaboradores;
  • finanças;
  • equipamentos.

Com essa etapa, se torna possível entender os potenciais riscos para analisar de forma detalhada onde estão os pontos fracos do condomínio.

Fazer análise qualitativa

Após a identificar, outra dica é fazer uma análise qualitativa, que significa abrir um canal de comunicação com os envolvidos pela gestão condominial para que eles indiquem como é o funcionamento das atividades.

Com esse passo vai ser possível verificar qual é a devida importância que cada risco, identificado anteriormente, deve ter. Além disso, é por meio dessa análise que se mensura qual a probabilidade de os riscos acontecerem de fato.

Realizar análise quantitativa

Mais uma dica importante é realizar uma análise quantitativa, que significa detalhar, em termos de números, quais são os efeitos e impactos em potencial que os riscos já identificados podem ter sobre o condomínio.

Planejar as respostas

Depois das dicas anteriores, criar um planejamento de respostas também é essencial para a eficiência da gestão de riscos. Esse é o momento de, primeiramente, fazer uma relação dos riscos conforme a importância de cada um, em ordem de prioridade e de maior chance de concretização.

Depois, deve ser criado o planejamento para que eles sejam monitorados, eliminados e reduzidos.

Fazer o monitoramento

Faça o monitoramento de todos os riscos que o condomínio já sabe que existem. Para isso, podem ser usados softwares ou sistemas de relatórios para que o controle possa ser feito.

Criar estratégias para o imprevisível

Por fim, anteriormente você viu que alguns riscos não podem ser previstos ou identificados. Porém, nesses casos, ainda assim é possível trabalhar com a gestão.

É importante sempre ter grande organização nas atividades do condomínio, principalmente financeiras. Assim, mesmo que algum imprevisto aconteça, os impactos serão menores por conta de respostas rápidas e de margem para lidar com os efeitos.

Portanto, chegando ao final desse artigo, fica evidente que ter uma gestão de riscos condominiais é essencial, bem como que tem enorme importância. Sendo assim, aplique as dicas e conceitos que foram mencionados para conseguir oferecer maior segurança e controle ao condomínio.

Importante lembrar que a gestão deve sempre se manter atualizada, pois os riscos podem variar conforme o momento ou as circunstâncias vividas. Com isso, é um trabalho que deve sempre estar em dia e acompanhar o desenvolvimento do condomínio.

Quer obter mais informações sobre o assunto? Não deixe para depois, entre em contato ainda hoje e tire suas dúvidas!

Posts relacionados

Deixe um comentário