Guarida Imóveis apoia campanhas relacionadas à infância

2 minutos para ler

“Adeus à cama dos pais” e “Se Gritar Fosse Remédio, Seria Contraindicado” são as duas iniciativas apoiadas pela imobiliária

Com o propósito “Para você viver melhor”, a Guarida Imóveis é reconhecida por apoiar e se envolver com diversos projetos sociais ao longo de sua história. No mês de julho, a imobiliária está voltando sua atenção às crianças, dando visibilidade para dois projetos liderados pela psicóloga Marilice Lopes Culau, especializada em ludoterapia e terapia familiar.

“Adeus à Cama dos Pais”

O primeiro é referente ao lançamento do livro “Adeus à Cama dos Pais”, de autoria da psicóloga. A obra aborda a dificuldade de um menino para dormir sozinho em sua cama. Joãozinho é um garoto de oito anos que se recusa a dormir em seu quarto e a desligar-se da cama dos pais.

Dessa forma, a história tem o objetivo de motivar as crianças a enfrentarem seus medos, de forma lúdica e divertida. O livro é sucesso nas redes sociais e tem se destacado pela abordagem atual sobre uma situação recorrente em muitas famílias e agravada pelo distanciamento social.

“Nesta época de isolamento social, as crianças podem estar se sentindo ansiosas e muitas vezes amedrontadas com as notícias sobre o Coronavírus,”, comenta a psicóloga. O título pode ser encontrado no site da Amazon.

Para visualizar mais imagens sobre a obra, clique aqui!

“Se Gritar Fosse Remédio, Seria Contraindicado”

Já o outro projeto, trata sobre gritos com crianças. Com o nome “Se Gritar Fosse Remédio, Seria Contraindicado”, a iniciativa busca alertar pais, educadores e cuidadores sobre gritos, que podem causar danos cerebrais irreversíveis em crianças. A psicóloga Marilice Culau também está à frente deste movimento. “O grito coloca a criança em estado de alerta, pois o som estridente é entendido pelo cérebro como um aviso de perigo.

Quando se torna um hábito, acaba gerando aflição, medo, irritabilidade e agressividade constantes. Além de desencadear quadros como déficit de atenção, depressão infantil e comportamento hiperativo”, destaca.

Para visualizar mais imagens, clique aqui.

Posts relacionados

Deixe um comentário