fbpx
usar o FGTS para comprar um imóvel usar o FGTS para comprar um imóvel

Afinal, como usar o FGTS para comprar um imóvel?

10 minutos para ler

Ter um imóvel para chamar de seu é o sonho de muitas pessoas. Essa conquista fica mais próxima da realidade se o fundo de garantia for acionado.

Os investimentos em imóveis acumularam alta média de 15,3% ao ano, segundo a ABRAINC (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), na última década. No entanto, você sabe como sacar o FGTS para compra de imóvel?

Siga com a leitura do post e aprenda como fazer seu dinheiro render mais do que quando fica parado na conta!

Quais são as vantagens de usar o FGTS para comprar um imóvel?

O FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) é uma espécie de poupança do trabalhador brasileiro, em que o dinheiro é depositado mensalmente. O problema é que ele rende menos que a caderneta de poupança.

Por causa disso, mesmo no momento de crise atual que o Brasil enfrenta, os especialistas recomendam o saque do fundo para investimento em imóveis. É ótimo se você tiver um valor alto para sacar. Talvez possa comprar a casa ou o apartamento à vista. Assim, é possível negociar o preço e conseguir um desconto.

Se o valor não for tão alto quanto a hipótese anterior, tudo bem também! Junte o valor do fundo com a sua poupança pessoal. Desse modo, você consegue aumentar a quantia que vai dar de entrada para comprar a propriedade. Como consequência, o valor restante financiado será menor.

O valor do FGTS também pode ser usado para amortizar o saldo devedor. Ou seja, o pagamento das parcelas é antecipado. Com isso, a quantidade de meses para pagamento é reduzida e ainda vai diminuir os juros. Sabe o que isso significa? O investimento que você fez foi correto. Não deixe o dinheiro escorrer pelas suas mãos ao pagar juros altos para comprar a casa.

Quais são as regras e condições para o saque?

Veja a seguir quais são as principais regras e condições para sacar o FGTS para compra de imóvel.

Pré-requisitos para o comprador

  • Possuir idade mínima de 18 anos;
  • ter trabalhado sob o regime CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) e contribuído para o FGTS por, no mínimo, 3 anos, que podem ser consecutivos ou não (as contribuições não precisam ser todas da mesma empresa);
  • o comprador não pode ter financiamento ativo no SFH (Sistema de Financiamento Habitacional) — esse sistema é nacional, então todo território brasileiro será pesquisado;
  • não pode ser dono de qualquer imóvel (área, lote, casa, apartamento etc.) no município onde mora, nem nas cidades da mesma região metropolitana;
  • deve morar ou trabalhar na cidade onde se encontra o imóvel de interesse.

Condições para o imóvel desejado

  • O valor do imóvel deve ser menor que R$1,5 milhão, porém essa quantia varia de acordo com o município — além disso, ela sofre diversas alterações, então verifique o valor em data mais próxima à compra;
  • a finalidade do imóvel deve ser residencial, e ele precisa estar localizado em área urbana — o FGTS não é sacado para comprar imóveis comerciais;
  • a casa ou o apartamento serão usados pelo titular como moradia;
  • nos três anos anteriores da atual compra, o fundo de garantia não pode fazer parte da aquisição do imóvel.

Documentos solicitados para a compra

  • CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social);
  • carteira de identidade, CPF e certidão de nascimento ou casamento;
  • a última declaração do IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física);
  • comprovante de residência;
  • extrato do FGTS e o último contracheque;
  • certidão de matrícula e recibo de quitação do IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) da propriedade desejada.

Em quais momentos o valor do FGTS pode ser sacado?

Como você já sabe, o FGTS consiste em um valor depositado pelas empresas empregadoras em contas (na Caixa Econômica Federal) de seus trabalhadores. Os valores correspondem a 8% dos vencimentos na folha de pagamento.

A finalidade do FGTS é atuar como uma espécie de fundo de reserva para casos de emergências. Enquanto os valores permanecem nas contas, são usados pelo governo federal para financiar diversas iniciativas, como saneamento básico, habitação popular e infraestrutura urbana.

De acordo com a legislação que respalda o FGTS, existem diferentes situações em que o trabalhador pode sacar o valor depositado na Caixa Econômica Federal, tais como:

  • construção de um terreno ou moradia própria;
  • compra da saca própria;
  • casos de diagnóstico de doenças graves;
  • ocorrência de catástrofe ou calamidade no local onde o trabalhador mora;
  • após três anos sem exercer alguma atividade de trabalho com carteira assinada.

Basicamente, o FGTS pode ser sacado para comprar um imóvel residencial ou para a construção dele, sendo geralmente usado como valor de entrada em financiamentos de imóveis, no qual constitui parte ou o valor total do pagamento do bem.

Em quais casos o FGTS não é utilizado?

O fundo não é usado para comprar imóveis com fins comerciais, também não é possível sacar o FGTS para reformar ou ampliar imóveis próprios. Da mesma forma, não está autorizada a compra de terrenos sem construção, nem de materiais para construção com o dinheiro do saque.

É vedado comprar imóveis para parentes ou dependentes com o FGTS. Da mesma forma, o saque não é usado para pagamento de taxas de cartório ou de transferência do imóvel.

O que fazer para usar o FGTS na compra do imóvel?

Agora que você já viu que pode usar seu fundo de garantia para comprar a casa tão sonhada, entenda o que fazer para conseguir a liberação do saque. O primeiro passo é verificar se você e o imóvel encaixam-se em todas as exigências já mostradas. Observe cada item atenciosamente.

A seguir, verifique o valor do seu FGTS. Pesquise também por contas inativas. Isso porque cada empresa cria uma conta nova. Ao pedir demissão, o dinheiro do fundo fica retido nela por três anos.

A Caixa Econômica é o banco que gerencia as contas do FGTS. No entanto, não é necessário ter uma conta corrente na instituição para realizar o saque. Procure o banco em que você já tem uma conta em movimento e informe que pretende comprar um imóvel usando o valor do fundo. Seu banco fornecerá todas as informações de que vai precisar.

Na sequência, reúna todos aqueles documentos que já citamos anteriormente. Não pode faltar nada, caso contrário, o banco não dará entrada em seu pedido. Observe a validade de cada um e escolha os comprovantes mais recentes.

Verifique se o imóvel realmente atende a tudo o que você necessita. Tenha atenção com relação aos corretores e imobiliárias em que pretende comprar a propriedade. Pessoas com pouca experiência no ramo imobiliário, por vezes, são prejudicadas por vendedores desonestos.

O último passo é a vistoria do imóvel. A Caixa Econômica designa um engenheiro ou arquiteto para avaliar o bem. São verificadas todas as quitações da propriedade e se existem dívidas do atual dono. Depois, será estipulado o valor da sua futura residência.

Depois de tudo encaminhado, o saque é liberado. Vale a pena ressaltar que o dinheiro é depositado na conta do vendedor. Isso reduz fraudes e evita que a quantia seja usada para fins diferentes dos especificados para o saque do FGTS.

Quanto tempo leva para o FGTS ser liberado?

A partir do momento em que o solicitante realiza o pedido do saque do valor do FGTS por um agente financeiro, leva em torno de cinco dias úteis para que o dinheiro seja liberado. No entanto, o tempo pode variar em processos relacionados à compra de um imóvel, como em um financiamento imobiliário, podendo demorar de 60 a 90 dias até a conclusão.

É possível sacar apenas uma parte do FGTS para compra de imóveis?

Sim! O solicitante pode especificar ao agente financeiro a quantia do FGTS que deseja usar na compra de um imóvel. O restante do valor permanecerá em sua conta, onde continuará rendendo mês após mês.

Quem tem dívidas pode sacar o FGTS para compra de imóvel?

A existência de dívidas não impede um trabalhador de poder sacar o FGTS para compra de imóvel. No entanto, é importante destacar que ter o nome incluso em órgãos de proteção ao crédito, como o SPC ou o Serasa, pode ser motivo para que o solicitante não seja aprovado em um financiamento imobiliário, dependendo da instituição financeira.

Quais são as condições de amortização?

De forma simplificada, existem três formas de sacar o FGTS para compra de imóvel. A primeira e mais comum é o uso do benefício para integrar parte do valor a ser pago na propriedade. Nessa situação, trata-se de um imóvel comprado à vista.

A segunda alternativa é o uso do FGTS para abater parte das prestações em um financiamento imobiliário. Ou seja, o valor disponível do FGTS pode ser usado para adiantar uma certa quantidade de parcelas. Em casos assim, é preciso que o financiamento tenha sido realizado pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH), no qual é possível reduzir o valor das prestações em até 80% nos 12 meses consecutivos.

A terceira opção para uso de FGTS na compra de imóveis é a amortização por liquidação do saldo devedor. A alternativa conta com as mesmas condições e regras da opção anterior, mas o pagamento abrange apenas a quitação do valor total ou o pagamento de prestações inteiras.

Como uma imobiliária pode ajudar no processo?

Todo o processo para sacar seu FGTS é simples, porém não é tão fácil. É necessário ter muita atenção, dedicar tempo e pagar pelos deslocamentos para resolver tudo.

O apoio de uma imobiliária confiável e parceira é importante para evitar desgastes dispensáveis. Os corretores fornecem informações precisas, solicitam e verificam seus documentos antes de enviar tudo ao banco.

Depois de contatar a imobiliária, você vai perceber que os procedimentos se tornam mais ágeis e práticos. Nós, da Guarida, estamos no mercado há muitos anos e contamos com uma equipe credenciada e preparada para resolver suas dificuldades.

É possível realizar o sonho da casa própria e garantir um futuro tranquilo para você e sua família. Opte por sacar o FGTS para compra de imóvel e deixar essa conquista mais próxima. Verifique todas as condições exigidas para realizar o saque e siga as instruções para fazê-lo com sucesso. Observe as credenciais do vendedor do imóvel, no caso do corretor. Peça ajuda a uma imobiliária de sua confiança para facilitar e agilizar todo o processo.

Se ainda ficou alguma dúvida ou você quer saber mais informações sobre o assunto, entre em contato conosco. Estamos à disposição para ajudá-lo a viver melhor.

Posts relacionados

Deixe um comentário