tipos de financiamento imobiliário tipos de financiamento imobiliário

Fique por dentro dos principais tipos de financiamento imobiliário

5 minutos para ler

Embora existam diferentes tipos de financiamento imobiliário disponíveis para quem deseja realizar o sonho da casa própria, o conceito é o mesmo: é feita uma solicitação de empréstimo a uma instituição financeira, com o objetivo de comprar um imóvel. O banco realiza o pagamento do valor ao vendedor da propriedade, que pode ser o montante total do bem ou apenas uma parte do seu custo.

Como as regras podem mudar de uma alternativa para outra, é muito importante que você conheça os diferentes tipos de financiamento imobiliário. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

Principais tipos de financiamento imobiliário

A seguir, mostraremos as alternativas mais conhecidas do mercado e as suas principais características.

Minha Casa Minha Vida

O Minha Casa Minha Vida oferece algumas modalidades de financiamento imobiliário para quem deseja adquirir uma casa ou apartamento. Somente famílias com renda inferior a R$ 7 mil por mês podem participar do programa. O MCMV pode ajudar das seguintes formas:

  • pagar uma parte da entrada do financiamento, o subsídio;
  • oferecer taxas de juros inferiores, o que reduz o valor das parcelas e do financiamento;
  • diminuir o valor do seguro cobrado em financiamento habitacional;
  • arcar com os custos de uma parte da propriedade.

Sistema Financeiro de Habitação (SFH)

o SFH é uma iniciativa do Governo Federal garantida pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e pelos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), e a maioria dos tipos de financiamento imobiliário no Brasil é regida por ele. Para que um imóvel seja financiado pelo SFH, é preciso seguir as seguintes especificações:

  • o valor da prestação não pode comprometer mais do que 30% da renda mensal do contratante;
  • o valor de avaliação do imóvel não pode ultrapassar R$ 950,00 para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal, e R$ 800,00 nos demais estados;
  • a aquisição deve ser realizada somente por pessoa física;
  • o prazo de quitação da dívida é de até 35 anos (420 meses);
  • o percentual do valor máximo a ser financiado é de 70% para unidades usadas e de 80% para imóveis novos;
  • a taxa de juros pode ser de, no máximo, 12% a.a.;
  • a base de recursos vem da caderneta de poupança e do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI)

O SFI é uma modalidade mais flexível destinada a pessoas jurídicas, indicada para quem pretende comprar um imóvel comercial ou um segundo imóvel, não havendo limite no valor que será financiado. As características mais marcantes desse tipo de financiamento são:

  • o valor de crédito concedido pode chegar a 90% do preço do imóvel;
  • não há obrigatoriedade de valor máximo;
  • a opção pode ser oferecida tanto para pessoas físicas quanto jurídicas;
  • não há limite de renda comprometida;
  • não há limites para os juros, que variam de 12% a 16% ao ano;
  • o prazo de quitação máximo é de 35 anos.

Diferentes formas de pagamento

Agora que você já conhece as principais alternativas do mercado, confira as diferenças entre as modalidades de pagamento.

Tabela Price

Na Tabela Price, o financiamento deve ser composto, do início ao fim, por prestações iguais. Aqui, cada parcela paga é utilizada para saldar juros, reduzindo, de pouco em pouco, o saldo devedor.

Quanto maior for a dívida com o banco, maior o saldo devedor — e, consequentemente, os juros cobrados serão mais altos.

Sistema de Amortização da Constante (SAC)

Nessa alternativa, os juros são calculados com base no saldo devedor. Portanto, as prestações são decrescentes, visto que ocorre uma redução do montante a ser pago em juros à medida que a dívida total vai diminuindo. Isso significa que, enquanto os juros diminuem, a amortização permanece fixa.

Há duas formas de correção monetária que ocorrem dentro do SAC: a pré-fixada, na qual o valor é determinado pelo banco no momento da assinatura do contrato, e a pós-fixada, é a correção é baseada na Taxa Referencial.

Sistema de Amortização Crescente (Sacre)

Por fim, o Sacre é a modalidade que combina as duas alternativas anteriores. Isto é, embora as prestações sejam crescentes com o decorrer do tempo, em um determinado ponto, começam a diminuir.

Como você pode conferir, quem deseja comprar um imóvel pode contar com diferentes tipos de financiamento imobiliário. Antes de escolher o ideal, basta levar em consideração as condições de pagamento, taxas de juros e regras de cada alternativa, para optar a que mais se adequa ao seu perfil financeiro.

As informações levantadas neste conteúdo foram úteis? Então, não deixe de conferir também como funcionam as taxas de juros para financiamentos imobiliários!

Posts relacionados

Deixe um comentário