comprar um imóvel comprar um imóvel

Comprar um imóvel é uma ótima alternativa de investimento

10 minutos para ler

Quem é que não tem o sonho de ter a casa própria, não é verdade? A maioria das pessoas investem todo o seu tempo, energia e força de trabalho para alcançar isso, o que é considerada uma das principais metas de vida.

Seja para morar no imóvel, seja para alugá-lo e ter uma fonte de renda extra garantida, o fato é que esta pode ser realmente uma ótima alternativa de investimento. Se você se identifica com o que foi dito, continue a leitura deste conteúdo especial que preparamos para saber mais sobre o assunto!

Quais as melhores práticas para comprar um imóvel?

A seguir, mostraremos uma série de recomendações úteis para quem está se planejando para comprar um imóvel.

Defina o tipo de imóvel que procura

Primeiro, estabeleça o tipo de imóvel ideal para o seu perfil e necessidades de longo prazo. Para que o sonho da casa própria não se transforme em um pesadelo, é preciso ter paciência e fazer planos.

Pense em como você se vê sendo feliz dentro de algumas décadas. O bairro te agrada? E quanto ao tamanho do imóvel? Pretende se casar ou ter filhos? Precisará de dois ou três quartos? Você prefere casa ou apartamento? Imóvel luxuoso ou uma residência simples? Condomínio fechado ou casa?

Essas são questões que influenciarão em sua experiência de moradia no futuro e você deve ser firme em sua decisão. Não se deixe influenciar por promessas de corretores ou construtoras que até mesmo dão brindes, como eletrodomésticos e garrafas de whisky, para “empurrar” imóveis que você sabe que não condizem com o seu planejamento.

Verifique o seu crédito para financiamento imobiliário

Logo depois de definir o perfil de imóvel ideal para as suas necessidades de longo prazo, é preciso descobrir qual o seu crédito para financiamento imobiliário. Isso é importante porque evita frustrações e desperdício de tempo e energia.

Você não vai querer descobrir somente na hora de pedir empréstimo ao banco, após longos meses de procura por uma oportunidade que o agrade, que a instituição financeira não concederá o crédito necessário para fechar negócio.

Outro motivo interessante para colocar esse item como prioridade em sua lista é que, ao saber com quanto você pode contar para financiar o imóvel, é mais fácil eliminar opções que estão fora de cogitação, o que o fará economizar tempo.

Estabeleça como será feito o pagamento

Veja qual é a melhor alternativa para financiar a propriedade com o banco ou qual as opções de parcelamento que a construtora oferece. É interessante, também, definir se o FGTS será usado para a compra do imóvel na hora de quitar parte do valor.

Se você tiver uma reserva financeira considerável na conta ou, ainda, bens que possam ser vendidos e revertidos em capital para adquirir a propriedade, não deixe de colocar essas informações na ponta do lápis.

Conheça pessoalmente a região do imóvel

Sem dúvidas essa é uma das medidas mais importantes que você deve tomar assim que decidir qual imóvel quer comprar. No momento da empolgação, a oportunidade pode parecer ser indispensável, mas a realidade é que você só saberá como é viver na região, de fato, se fizer um bom trabalho de pesquisa.

Muitas pessoas que investem em imóveis acabam negligenciando essa parte e se frustram bastante após a assinatura do contrato. Uma fachada bonita, uma área de lazer cheia de opções e um bairro que possa parecer familiar pode não ser o suficiente para que você tome uma decisão tão importante sem pensar bastante.

Tenha paciência e comece a visitar a região do imóvel em diferentes horários do dia e em diversos dias da semana. Uma rua pode parecer tranquila em um determinado período, mas isso não pode ser um fator determinante.

Por exemplo, se você gosta de tranquilidade na hora de descansar, visite o bairro no final de semana de noite. Certifique-se de que não há bares, baladas e estabelecimentos noturnos que possam causar uma agitação incômoda para você. Utilize esse parâmetro para descobrir se viver ali será uma experiência positiva a longo prazo.

Avalie a documentação do imóvel

Antes de tomar a decisão de adquirir a propriedade, é fundamental que você faça uma boa pesquisa para descobrir se o imóvel está de acordo com a legalidade. Para isso, não poupe esforços e contrate uma imobiliária ou advogado para analisar a oportunidade.

Embora isso demande um pouco de investimento, evitará que você passe por aquela máxima inconveniente do “barato que sai caro”. Não caia em ciladas por falta de paciência ou pressa.

Entre os documentos que devem ser checados para descobrir se está tudo certo com o imóvel, podemos citar:

  • Certidão Negativa de Débitos na Junta Comercial;
  • Certidão Negativa de Débitos Federais de Pessoa Física;
  • Certidão de Distribuição Cível;
  • Certidão de Nascimento;
  • Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas;
  • Cópia da Matrícula atualizada — essa documentação deve ser solicitada no Cartório de Registro de Imóvel do município e será o próprio vendedor que deverá fornecer o número de matrícula e o local correto;
  • IPTU e condomínio — necessário para descobrir se a propriedade está em dia com a lei. Para consegui-lo, basta solicitar ao vendedor o seu número como contribuinte. Então, é só entrar em contato com a prefeitura municipal.

Reúna a documentação necessária

Por fim, tenha todos os documentos necessários para comprar um imóvel em mãos, pois isso evitará empecilhos durante a transação imobiliária.

Será preciso apresentar uma grande quantidade de documentos ao cartório, caso a compra seja à vista, com a finalidade de transferir o bem. Por isso, é recomendado contatar o local antes mesmo de iniciar a busca por informações sobre o que é exigido pelo vendedor.

Agora, se o seu caso é um financiamento imobiliário, o processo de análise deve variar de uma instituição financeira para outra e, por isso, é importante que você entre em contato diretamente com um profissional responsável para conhecer melhor as exigências em relação aos documentos de compra.

Ter todos os documentos em mãos agilizará o processo e facilitará a sua vida caso você esteja procurando diversos imóveis ao mesmo tempo, pois assim você pode enviar a documentação para diferentes oportunidades de negócio simultaneamente.

Quais são as taxas e custos envolvidos na compra de um imóvel?

O planejamento financeiro para comprar um imóvel exige muita atenção, já que diversos custos não são mencionados de forma direta durante a negociação. Estamos falando dos impostos, honorários e outros custos relacionados à documentação e questões que envolvem uma transação imobiliária.

  • Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) — de 2% a 3% sobre o valor venal — como consta no próprio termo, é um tributo de nível municipal que é recolhido no ato da compra quando uma propriedade imobiliária é transferida a outro dono;
  • Registro — 1% sobre o valor venal — é a escritura pública na qual ficam registrados todos os dados referentes ao imóvel (informações sobre o comprador, o vendedor e o bem em questão);
  • Índice Nacional de Custos da Construção (INCC) — é o imposto sobre os preços de mão de obra, materiais e matéria-prima da construção civil. Ele acompanha as variações desses valores para reajustar o preço final do imóvel;
  • Juros de Obra — é uma taxa cobrada do comprador no momento em que ele assina o contrato de financiamento habitacional;
  • Taxa de Corretagem — é o valor pago ao corretor por seu serviço de intermediar a transação imobiliária. Seu valor é determinado pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI) de cada município.

Quais erros evitar ao comprar um imóvel?

Comprar um imóvel é um processo que exige muito cuidado, pois envolve valores altos, contratos de longa duração e muita burocracia. O menor erro pode causar bastante dor de cabeça no futuro. Entre os erros que você deve evitar nessa empreitada, podemos citar:

  • não ter planejamento — comprar um imóvel não é uma decisão que deve ser tomada de uma hora para outra. É preciso se planejar com bastante antecedência no momento de decidir qual propriedade adquirir;
  • comprar um imóvel incompatível com o orçamento familiar — ao comprar um imóvel é altamente recomendado não comprometer mais do que 30% da renda mensal;
  • tomar uma decisão emocional — não são poucas as pessoas que se arrependem amargamento depois de assinar o contrato porque deixaram-se levar pela emoção do momento;
  • não verificar as condições do imóvel — o ideal é oficializar uma vistoria com um profissional habilitado antes de assinar o contrato;
  • não tirar dúvidas com o corretor, com a imobiliária e com o próprio dono do imóvel;
  • não ler o contrato;
  • ignorar as despesas extras.

Vale a pena investir em imóveis na pandemia?

Comprar um imóvel em tempos de pandemia pode ser uma boa oportunidade, seja para aqueles que têm dinheiro guardado para negociar à vista, para quem pensa em investir ou até mesmo para aqueles que desejam aproveitar a queda na taxa de juros em caso de financiamento.

Em função do impacto na economia devido ao COVID-19, muitas famílias e empresas estão colocando imóveis à venda, pois precisam de fluxo de caixa. O crescimento da oferta, como consequência, provoca queda nos preços e, neste sentido, bons negócios podem surgir. Dessa forma, para aqueles que guardavam dinheiro, esperando o momento certo para comprar a casa própria, essa é uma boa hora para negociar.

Os preços mais baixos também podem trazer bons negócios para quem pensa em investir e tem dinheiro para fazer a compra sem comprometer a liquidez da carteira. A expectativa é que, em poucos anos, com a retomada da economia, o investidor possa revender o imóvel pelo preço de mercado, obtendo um retorno mais rápido do que o da renda fixa, por exemplo.

Como os financiamentos foram afetados pela pandemia?

Já para aqueles que pretendem financiar, o momento também é bastante atrativo. Com a queda da taxa básica de juros (Selic, de 4,25% para 3,75% ao ano), alguns bancos reduziram as taxas de suas linhas de crédito pessoal e imobiliário. Contudo, especialistas alertam, nestes casos, que o comprador tenha cautela e avalie se o financiamento não comprometerá a renda familiar a longo prazo.

Como você pôde contemplar neste conteúdo, comprar um imóvel é uma empreitada longa e que exige bastante planejamento, mas que vale a pena por uma infinidade de motivos. É uma ótima alternativa de investimento visto que garante que você e a sua família tenham um lugar definitivo para morar, além de também servir como fonte de renda, caso você queira alugá-lo para outras pessoas.

E então? Que tal apostar naquele imóvel que poderá trazer um ótimo retorno de investimento? A Guarida tem uma série de alternativas para facilitar o seu negócio de compra e venda. Tudo isso sem fazer você sair de casa neste momento de isolamento social. Entre em contato com a gente para saber mais!

Posts relacionados

Deixe um comentário